quarta-feira, 30 de novembro de 2016

ELDORADO NOTICIAS

http://www.eldorado790.com.br/noticias

EDSON PAIM NOTICIAS


http://edsonpaim.com.br/





SITE DA TV PORTAL DO PANTANAL, NO AR! (MEIO AMBIENTE NOTÍCIAS)

CLIQUE:

http://tvportaldopantanal.com.br/




Minha foto 


      
Clique no Link abaixo e acesse 

um ou mais dos 599 Blogs da 

Parceria: Fundação Portal do

Pantanal / Painel do Paim/FM 

América 100.9 Mhz

https://www.blogger.com/profile/048861602895692797

65

terça-feira, 20 de setembro de 2016

Agraer aproveita período da colheita da melancia para conhecer sistema de cultivo



Para o plantio foram destinados cerca de 980 hectares e podem chegar a mil hectares.
Disposto a alavancar a produção de melancia na agricultura familiar de Mato Grosso do Sul, o diretor-presidente da Agraer (Agência de Desenvolvimento Agrário e Extensão Rural), Enelvo Felini, visitou in-loco uma das propriedades que é referência em produção da fruta no município de Eldorado. Por conta da elevada produtividade ano a ano, a cidade é considerado hoje a capital da melancia no Estado.

Em um campo de 30 hectares, na Fazenda União, Felini percorreu algumas faixas da propriedade acompanhado de dois servidores da Agraer de Eldorado: o técnico agrícola Joil Moreira e o coordenador municipal Roberto Botega. “Vim para conhecer como é feita a cultura da melancia em Eldorado. Sua boa produtividade serve como modelo para outras cidades que assim como esta também tem clima e solo propício. Hoje, apenas 27% da melancia consumida no Estado é nossa, os 73% restantes são frutos da importação”, garantiu o diretor-presidente.

Somente a propriedade visitada é responsável por cerca de 500 toneladas de melancia/ano. “No período de colheita chega a sair carregamentos de até 50 toneladas em um único dia”, disse Botega que ainda informou que pela carga dos caminhões que ali se encontravam essa quantia já parecia ter sido atingida só naquela tarde. “Essas melancias já têm destino certo para Cuiabá (Mato Grosso) e Campo Grande (Mato Grosso do Sul). Mas, como Eldorado está bem localizado geograficamente, com saída estratégica para o Sul do País, boa parte do que é produzido aqui vai para os estados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul”, explicou.

Para o plantio foram destinados cerca de 980 hectares e podem chegar a mil hectares. “Ainda há espaço aberto, ou seja, os produtores podem aumentar a quantia de terra”, observou o coordenador da Agraer de Eldorado que na região tem a missão de oferecer serviços de assistência técnica e extensão rural. “Tanto nessa como em outras propriedades de pequeno e médio porte temos a tarefa de fazer visitas técnicas e trocar ideias quanto ao sistema de plantio. Nos últimos cinco anos temos feito várias ações, inclusive chegamos a disponibilizar o caminhão da Agraer para puxar cerca de 200 toneladas de calcário para os agricultores, sem taxa de frete”, contou.

“É bonito de ver a fartura que há nessa propriedade, tanto pela beleza e tamanho das melancias, como pelos oportunidades oferecidas. Aqui se vê geração de empregos que vai desde os trabalhadores do campo até os motoristas dos caminhões”, avaliou o diretor-presidente Enelvo Felini.

Atento a demanda do mercado, Felini afirmou ter sido uma visita produtiva, tanto que muito do que foi observado ali servirá em ações da atual gestão da Agraer. “Seja pensando no andamento da construção da Ceasa de Dourados, obra que contribuirá muito com o escoamento de produtos do Sul do Estado, ou nas futuras reuniões com o governador Reinaldo Azambuja, tudo o que foi observado nos será útil de algum modo”, concluiu.
Fonte: Assessoria

Postado por Carlos PAIM

quarta-feira, 13 de julho de 2016

Caixa Alta

Principais Jornais de Mato Grosso do Sul

Divulgação da Parceria, Google, Fundação Portal do Pantanal - Fm América, Painel de Blogs do Paim.

http://www.ejornais.com.br/jornais_mato_grosso_sul.html


Site do Midiamax News
Divulgação da Parceria, Google, Fundação Portal do Pantanal - Fm América, Painel de Blogs do Paim

http://www.midiamax.com.br/

sexta-feira, 13 de maio de 2016

BOM DIA MS

http://g1.globo.com/mato-grosso-do-sul/videos/

Postado por: Ygor I. Mendes

terça-feira, 3 de maio de 2016

Oito cidades do sul do Estado recebem mutirão do DPVAT esta semana


Oito cidades da região sul do Estado recebem nesta semana o mutirão do DPVAT, programa desenvolvido pelo TJ-MS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul) e que visa realizar a conciliação dos processos do seguro obrigatório para veículos terrestres.
Veja Mais

Desde hoje (2) até sexta-feira (6), o mutirão vai visitar Caarapó, Naviraí, Itaquiraí, Eldorado, Mundo Novo, Iguatemi, Sete Quedas e Amambai. A estimativa é que 180 processos considerados suscetíveis de acordos sejam analisados pelo Núcleo Permanente de Métodos Consensuais de Solução de
Conflitos do TJ.

Conforme o TJ, a iniciativa, inédita no Brasil, homologou 1.088 acordos ano passado, quando o projeto foi lançado. A efetividade do mutirão foi alta, resolvendo 67% do total de casos atendidos. O número superou a expectativa do Tribunal, que repetiu o programa em 2016.
Esse será o terceiro trajeto feito no ano pelo mutirão. No último realizado, semana passada, foram agendadas 91 audiências, sendo realizados 74, com 43 acordos e 31 casos em que as partes não chegaram a um denominador comum. Em 17 casos, as partes não compareceram para a audiência.
Depois desta semana, o mutirão do DPVAT vai até Ribas do Rio Pardo, Água Clara, Brasilândia e Três Lagoas entre os dias 11 a 13 deste mês, encerrando os trabalhos de maio em Ponta Porã, nos 23, 24 e 25. Entre 1º de junho e 1º de julho, Campo Grande é quem recebe o mutirão
.

sábado, 29 de agosto de 2015

Mato Grosso do Sul é o 4º estado do Brasil com maior número de obesos 

Mato Grosso do Sul é o 4º estado com maior percentual de pessoas obesas do Brasil.  De acordo com a Pesquisa Nacional de Saúde 2013: ciclos de vida, do Instituto Brasileiro de Pesquisa e Estatística (IBGE), 24% da população com 18 anos ou mais do estado é obesa.

Conforme a pesquisa, com os índices calculados por sexo, o estado aparece em terceiro com a maior população tanto masculina quanto feminina mais obesa do país, com índices de 24% e 26,6%, respectivamente.

Mato Grosso do Sul também tem grande parte da população com excesso de peso, sendo o 3º maior percentual do país, com 60,4% da população adulta apresentado sobrepeso.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), a partir do cálculo do Índice de Massa Corporal (IMC), são classificados como portadores de excesso de peso os que apresentam IMC de 25 kg/m² e obesidade os que apresentam índice acima de 30 kg/m².

A pesquisa apontou também que 21% da população adulta do estado tem prevalência de pressão arterial alta, enquanto 6,5% tem pressão arterial baixa.

Ainda de acordo com o IBGE, Mato Grosso do Sul e Campo Grande tem o 2º menor percentual de idoso com limitação funcional que precisam de ajuda para realizar atividades diárias. Apensa 3,3% dos 305 mil idosos residentes no estado possuem alguma limitação . Já em Campo Grande, o índice é de 8,8%.

terça-feira, 11 de agosto de 2015

Em dois anos, cubanos ganham preferência a médicos brasileiros

Carlos Madeiro
Do UOL, em Craíbas e Girau do Ponciano (AL)

Médicos cubanos são bem avaliados pela população do semi-árido de AL8 fotos

8 / 8
A médica Madelyn Guerra Sanchez atende à gestante Karleane Alécio Santos, 35 Beto Macário / UOL
No consultório da médica cubana Alba Marina Hernandez, na pequena Craíbas, no semiárido de Alagoas, o paciente que chega para ser atendido percebe logo uma diferença: a cadeira reservada a ele está ao lado da doutora e não separada por uma mesa. "Quero a cadeira perto de mim porque é melhor, eu quero tocar na pessoa, olhar no olho, de perto. O paciente sente mais confiança. A medicina é humana, é importante ter essa relação mais próxima", afirma.
O atendimento mais próximo é uma das marcas implantadas pelos médicos cubanos. Há dois anos no Brasil, eles ganharam carisma e a confiança de grande parte da população. Segundo uma pesquisa recente feita pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), que entrevistou 14 mil pessoas em 700 municípios do país entre novembro e dezembro de 2014, os médicos cubanos receberam, em média, a nota 9 (de uma escala de 10) pelo atendimento. 55% dos entrevistados deram nota máxima ao programa. Outros 77% garantiram que tiveram boa comunicação e 87% elogiaram a atenção e qualidade do atendimento ao paciente.
O mesmo cenário é visto em Girau do Ponciano, também no semiárido de Alagoas. O município foi um dos primeiros a receber os médicos cubanos do programa Mais Médicos, em setembro de 2013.
No posto de saúde onde a médica Madelyn Guerra Sanchez trabalha, a procura é maior que de outras unidades da cidade. "As pessoas vêm à procura o atendimento dela, não querem mais os brasileiros. Os brasileiros sempre saem mais cedo, faltam ao trabalho. Ela, não. Examina sempre, atende com mais proximidade. É diferente", conta Celiane Ferreira Gomes, técnica de enfermagem da unidade.
Inicialmente, Sanchez foi enviada a Traipu, também em Alagoas, mas teve problemas e acabou deixando a cidade para ir até Girau do Ponciano, onde "se encontrou" no Brasil. "Quando cheguei lá [em Traipu], muitos me disseram que nunca receberam visita de um médico, muitos tinham problemas acumulados. Aos poucos as pessoas foram nos procurando e fomos resolvendo. Aqui também está sendo muito exitoso", disse.
A médica conta que deixou Cuba quando seu filho tinha um ano e oito meses. Em novembro, ela deve deixar o país em definitivo para voltar a cuidar do filho. Diz que terá boas lembranças do Brasil, mas se recorda das dificuldades que passou logo ao chegar.
"Tentaram nos desacreditar pela língua, mas não conseguiram. Sabíamos que a língua no começo seria um desafio, principalmente com os idosos. Mas contamos com o apoio muito grande da equipe de saúde e hoje conseguimos nos comunicar. Acho que vencemos, e somos um médico a mais aqui", afirma.
Para a médica Idalis Rivero, que atua na comunidade rural de Folha Miúda, em Craíbas, a vinda ao Brasil é tratada como missão. Ela deixou a filha de 14 anos e o marido professor em Cuba. "Claro que a escolha de vir tem o lado financeiro, mas mais que isso: lá, desde cedo, somos ensinados a ajudar as pessoas. Vim por isso", diz.
"Nunca tivemos dúvidas de que iríamos fazer um trabalho bem feito. A medicina é a mesma em todo lugar, e na América os problemas são parecidos. Em vez de tantos questionamentos à nossa capacidade, a sociedade médica daqui deveria se preocupar em fazer valer o código de ética, de ajudar mais as pessoas. Aqui se pensa demais em dinheiro", afirma o médico Angel Luis Martinez. O médico divide com o primo Alexeis Farinas a missão de atender à população do  distrito de Canafístula do Cipriano - pertencente a Girau do Ponciano e onde moram 6 mil pessoas.
Alexeis analisa que a saúde pública brasileira tem diferenças marcantes do sistema cubano.